Fábrica clandestina de perfumes é interditada após vazamento químico em Limeira, diz GCM

Local já tinha sido alvo de operação que resultou na maior apreensão de perfumes falsificados do país, em junho deste ano, com seis pessoas presas e denunciadas à Justiça



O vazamento de um produto químico interditou uma fábrica de perfumes em Limeira (SP), nesta sexta-feira (9), segundo a Guarda Civil Municipal.

Segundo a corporação, a área chegou a ser isolada, incluindo residências próximas, e a perícia da Polícia Civil foi até o local para apurar o que ocorreu, mas o vazamento foi controlado e houve liberação da área.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a substância encontrada no chão possivelmente é etanol cereal, que era utilizado na fabricação dos perfumes. De acordo com o Corpo de Bombeiros, há suspeita de ação criminosa, pois havia um cano cortado.

O local é o mesmo onde ocorreu a maior apreensão de perfumes falsificados do país, em junho deste ano, de acordo com a GCM.

Apreensão A fábrica de perfumes foi descoberta no dia 8 de junho e seis pessoas durante a operação, duas delas identificadas como proprietárias da unidade. A Promotoria ofereceu denúncias contra os seis à Justiça. Um dos donos já tinha passagem pela polícia em 2019 pelo crime de falsificação, segundo a Polícia Civil.

Segundo a Associação dos Distribuidores e Importadores de Perfumes, Cosméticos e Similares, o caso foi considerado a maior apreensão feita no Brasil.


Foram apreendidos 54,4 mil perfumes finalizados, além de embalagens, tampas, rótulos, entre outros itens necessários para envase e embalo, somando 2,6 milhões de unidades.


Foram apreendidos também 20 tambores de 200 litros de produtos químicos cada, contendo etanol álcool etílico metil, carbonil, além de 89 litros de essência e 45 litros de álcool etílico hidratado, totalizando 4.134 litros de químicos inflamáveis, e cinco máquinas de produção.


Inquérito policial aponta que o estabelecimento funcionava há pelo menos dois anos. A empresa, segundo a investigação, existe há mais de 30 anos em Limeira, mas começou a falsificar perfumes em 2019 e já tinha sido multada quatro vezes.


A suspeita é que a fábrica produzia e vendia os produtos para centros comerciais de todo o país. Além das prisões, os policiais apreenderam documentos, mais de R$ 200 mil em folhas de cheques, máquinas de cartão e R$ 11 mil em dinheiro.



Fonte: https://g1.globo.com/sp/piracicaba-regiao/noticia/2021/07/09/fabrica-clandestina-de-perfumes-e-interditada-apos-vazamento-de-produto-quimico.ghtml



 

7 visualizações0 comentário